Na foto à direita, as flores da Hohenbergia catingae (Bromeliaceae), muito comum nas áreas de Caatinga.

Phaethornis ruber (Linnaeus, 1758)

Nome popular - Rabo-branco-rubro

Nome em inglês - Reddish Hermit

Comportamento migratório: Sedentário.

Os sexos têm plumagem semelhante.

Medidas: Comprimento 8,6 cm. Peso 1,8 g

Vibração das asas: 48/s

É uma ave muito pequena, mesmo para os padrões de beija-flores. Vive em quase todos os estados do Brasil com exceção da região Sul. Costuma voar baixo, a 1 m ou menos de altura e, por isso, não é visto facilmente. Seu voo assemelha-se ao de um inseto do tipo das mariposas ou até mesmo de um gafanhoto, o que dificulta ainda mais em ser notado.

À esquerda, a ave suga a flor da

Odontonema strictum (Acanthaceae),

arbusto nativo da Mata Atlântica e bastante utilizado na decoração de jardins.

Nestas duas imagens trata-se de uma fêmea. Embora os sexos possuam plumagem semelhante, pequenas diferenças existem. A fêmea possui o mento (plumagem logo abaixo do bico) e o ventre esbranquiçados. Isso é difícil de ser visualizado a não ser que se observe diretamente em uma ave capturada ou como no caso, em fotografias feitas de ângulos favoráveis.

À esquerda, a ave pousa no ramo das flores  de

Epidendrum ibaguense (Orchydaceae) e à direita no ramo florido de Dyckia pseudococcinea (Bromeliaceae), plantas comuns nos Cerrados da Chapada Diamantina.

 

Acima, a flor de Calliandra mucugeana (Fabaceae), nativa em Cerrados da Chapada Diamantina e à direita, flores de Zinnia elegans (Asteraceae), planta nativa do México mas que cresce em muitas áreas da América do Sul.