Anthracotorax nigricolis em primeiro plano, assediando um Caburé (silhueta ao fundo) para enxotá-lo.

Quanto vivem os beija-flores?

       Estima-se que o tempo de vida dessas aves seja de 6 anos quando vivem livremente. Ironicamente, os outros beija-flores talvez sejam seus maiores inimigos. Devido à concorrência por fontes de alimento, as disputas podem ser acirradas ao ponto de terminar com a morte de um deles. Aos 4 ou 5 anos de idade, o beija-flor se torna mais lento e não consegue competir com os mais jovens pelas fontes de alimento. Isso causa seu rápido declínio e resulta na sua morte. Morrer de velhice na natureza, não parece acontecer aos beija-flores.

      Em cativeiro há registros de até 16 anos de sobrevivência em algumas espécies, uma vez que recebiam alimentação constante e estavam isolados dos predadores ou competidores (Ruschi, 1982).

     

 

       Na natureza, os beija-flores possuem poucos predadores habituais. São alguns pequenos gaviões ou corujas, dentre elas o Caburé-de-sol (Glaucidium brasilianum) que é o maior predador (Ruschi, 1982). Essa coruja não é uma caçadora habitual de beija-flores. Acontece que quando um beija-flor localiza a coruja, ele começa a assedia-la com voos rasantes para enxota-la. Outros beija-flores e aves costumam se juntar em um bando misto e participam do ato contra o inimigo comum. A coruja num movimento rápido, às vezes, consegue apanhar algum que esteja mais próximo. Os gatos domésticos são predadores a serem considerados e jamais subestimados, pois caçam mais por instinto que por necessidade. Também foram registradas capturas por grandes aranhas e cobras arborícolas, mas são casos raros aos nossos olhos.

Serpentes arborícolas

como a 

Chironius exoletus

predam pequenas aves também. O beija-flor Phaethornis guy

está alerta e alvoroçado e assim o predador não tem muita chance. Porém a serpente é paciente e aguardará uma presa mais incauta. As flores são da Sanchezia speciosa-Acanthaceae.

Eu não conheço o tempo dos seus míticos calendários.

Vivo intensamente... no meu tempo.