Beija-flores dormem a noite e também "tiram cochilos" durante o dia. Precisam repor as energias.

Os dorminhocos

Phaethornis squalidus cochilando no cacho florido da Erythrina speciosa (Fabaceae), planta também conhecida como Mulungú.

Amazilia versicolor kubtchecki dormindo após ter recebido socorro e alimentação, depois de ter sido encontrado caído, após uma chuva forte.

Heliomaster squamosus e ao fundo, uma flor de Justicia carnea (Acanthaceae).

Glaucis hirsutus e flores de Punica granatum (Punicaceae), arbusto frutífero conhecido como romãnzeira. O bico desta ave não é tão longo quanto parece. A língua foi projetada para fora no momento da foto, criando a ilusão.

Calliphlox amethystina (macho) e um ramo de Cuspidaria convoluta (Bignoniaceae) no início da floração.

Phaethornis ruber num ramo floral de Vriesea saundersii (Bromeliaceae).

Thalurania glaucopis - macho

Amazilia lactea ainda filhote, dormindo em uma flor de Heliconia angusta (Heliconiaceae), var. áurea.

Florisuga fusca

Phaethornis pretrei

Anthracotorax nigricolis - macho

Se os seus sonhos acabaram, sonhe com os meus!